TRÍADE - Página 5

Arregalo os olhos, minha boca se abre e seca como se todo o ar sumisse de dentro de mim, meu estômago volta a pesar parece que seu lugar agora são meus pés. Fico petrificada, ouço os aplausos e sinto as pessoas me tocarem nas costas em cumprimento.
Genial da parte do Rei, me concede o maior desejo de um soldado e me afasta ainda mais das pretensões de enlace com o Imperador, afinal minha função é protegê-los tão somente.
Saio de meu momento catatônico quando recebo um abraço efusivo de Mike. Ele encosta seus lábios nos meu ouvidos e prolata.
- Acorda Téo, faça cara de satisfação, você recebeu a maior honraria que poderia ter antes dos 18. – Me solta aplaudindo-me de maneira exagerada pra que eu retorne à realidade. Eu abro um sorriso amarelo e tento me recompor. Realmente, Mike tem razão, pensei em líder de tropa, mas nunca num posto tão alto como compor a tríade.
Aceito os cumprimentos e o baile recomeça, o Rei lança um olhar de vitória pra mim e esboça um cumprimento à distância, eu retribuo de maneira polida.
Minha face já está doendo de esboçar sorrisos e meus braços idem por ficar estendido a tantos cumprimentos, até que me vejo sentada a uma mesa esfregando discretamente os pés por debaixo da toalha que cobre-a até o chão. Estou exausta, recuso acreditar nos meus instintos que sinalizam alguma coisa que não compreendo, quero me permitir sorrir e aproveitar esta noite sem pensar no amanhã. Esse cargo é tudo que um soldado espera, principalmente, uma pessoa tão jovem quanto eu, sei que começamos muito cedo nossa jornada profissional, mas não esperava tamanha conquista, deixo-me deleitar pelas alegrias que me rodeiam, os pensamentos ainda estão confusos, porém, sinto que mereço sorrir e ser feliz, é o que tenho para o presente e é isso que me permito viver.
Sinto uma mão em meus ombros e nem faço força pra me virar pelo peso e força sei que é Mike, ele entra no meu foco de visão e com uma cara séria se abaixa na minha frente pra ficar na altura dos meus olhos, não ofereço nenhuma resistência, sorrio e o abraço. Ele não esperava por isso talvez, mas retribui de forma calorosa. Recuo e deito a cabeça no ombro mirando-o.
- Era disso que você esteve falando o tempo todo esses dias!!
Ele se levanta e puxa a cadeira pra sentar-se na minha frente, sustenta meu olhar, semicerra os olhos e sorri, aparecem as devastadoras covinhas que, antes, sinceramente, não “botava reparo”, mas agora, com tanta proximidade, passo a notar pra meu total desespero. Abaixo a cabeça ele segura e ergue meu queixo para encará-lo.
- Eu esperei por isso desde que você entrou naquele tatame. Seu lugar sempre foi este, você é corajosa, esperta, inteligente, mas precisa controlar o mau gênio.
Devolvo o olhar reprimindo minha vontade de socar a cara do mestre, pondero seu tamanho e o lugar impróprio em que estamos.
- Não posso acreditar que uma pessoa como eu deva ser insultada dessa maneira!! Me poupe de seus comentários insensatos!! Agora que, como você já disse, estamos de igual pra igual, posso dizer sempre o que penso, pronto, falei. – Chacoalho os ombros com irritação aparente.
Ele continua me olhando e vai abrindo novamente aquele sorriso com covinhas matadoras. Finjo indiferença.
- Téo você sempre foi minha preferida!! Bem-vinda às novas responsabilidades. Só quero lembrar que toda grande responsabilidade traz consequências boas ou más, contudo, serão sempre gigantes.
Aquilo atinge meu estômago com força, mas é nessa hora que devo demonstrar a coragem que eles dizem que tenho e honrar o meu papel junto à corte. Sorrio e volto a abraçá-lo.
Terminado o baile, volto pra casa acompanhada pelos dois homens que não imaginava ter na vida, meu instrutor, quer dizer, meu atual companheiro de tríade e meu Imperador, a situação é constrangedora e todos caminhamos em silêncio.
- Achei que ficaria com Yasmine, Zac. Não pensei que me acompanharia até minha casa.
Ele olha desconfiado e bravo para Mike que finge não perceber.
- Queria te parabenizar e, apesar de me despedir cordialmente da Imperatriz como bom cavalheiro, não estou interessado em ser companhia a ela, somente em ser um bom anfitrião. Porém, não sabia que teríamos uma atenção especial do mestre.
Mike continua a ignorá-lo e sinceramente eu não sei o que fazer com nenhum dos dois. Chegando à porta de meus cômodos particulares, tento despedir-me apenas com aceno de cabeça, no entanto Zac, descaradamente me puxa e aperta os lábios contra os meus, retribuo com muita vergonha e solto logo encarando Mike e percebendo que, apesar dele fingir indiferença, está com olhos estreitos como se estivesse preparado para o combate.
Despeço-me rapidamente entrando e fechando a porta atrás de mim, foi tudo muito estranho, só fico preocupada pensando até que ponto Mike estava disposto a “melar” o meu flerte com o Imperador, tiro os homens da cabeça e passo a me deliciar com a nova posição. Aceito que o Rei tem um tino político fantástico, não havia nada melhor pra baixar a minha guarda do que me nomear para o cargo mais desejado, a tríade da legião real. Uau!!! Coloco minha roupa de dormir, escovo os dentes e coloco o despertador para tocas às 9. Domingo é dia de reunião de estudos da Bíblia e não costumo perder.
O mundo não tem mais divisões religiosas, temos, em meu país, o costume abençoado de estudarmos a Bíblia, acreditamos em Deus e na trindade divina, Pai, Filho e Espírito Santo, talvez seja daí a inspiração para compor os nossos órgãos governamentais por tríades. O homem consegue ir até o possível, o impossível só acontece pela fé, é assim que cremos.
Acordo na manhã seguinte bastante feliz. Após a reunião, Mike se aproxima e gesticula com uma expressão meio indecifrável, talvez decepção pela noite anterior e aquela cena a três que eu prefiro esquecer.
- Olá Téo, amanhã teremos uma reunião extraordinária.
- Da tríade com o Rei??? Mas seria na quinta-feira que será a terceira do mês, por que amanhã.
- Primeiro o Rei deve estar querendo conversar com você, passar as coordenadas principais do cargo e depois, me parece que já teremos uma missão.
- Já??? Meu Deus, devo ficar feliz pela confiança ou devo me preocupar pelas intenções desse comando?
- Os dois Téo, os dois. – Ele se despede com um aceno e eu fico pensando no que vou enfrentar, meus instintos estão dizendo que muita coisa está por vir e sei que Mike é suficientemente inteligente para interpretar segundas intenções nesse comando tão rápido, depois de minha escolha, mas se atém a obedecer as ordens reais. Veremos o que vem por aí na reunião amanhã.
Chego à reunião de calça jeans e regata verde, sinto-me deslocada porque Cássia está com um vestido rosa que combina com a pele marrom dela, saltos de uns 10 cm, meu Deus, penso “o que tô fazendo aqui”. Sento-me a três cadeiras, se pudesse ficaria no fundo da sala, mas há apenas o rei, seus conselheiros, Cássia e eu. Mike ainda não chegou e eu fico mais perdida ainda.
Mike aparece na porta do anfiteatro de calça jeans e camisa de manga curta descontraidamente fora da calça, estou mais aliviada, mesmo assim o ambiente me assusta um pouco. Sei que sou capaz de enfrentar esse desafio, mas à primeira vista, não me encaixo ali.
O Rei se levanta de seu lugar a frente, no centro do palco. Nos levantamos também, como sempre fazemos em ocasiões em que o Rei ou a Rainha estão presentes, o Imperador chega exatamente neste momento, mas como estamos em pé, quase ninguém nota a não ser eu. Ele está de calça jeans, camisa social. Isso me deixa mais à vontade.
- Caros soldados de elite, estamos aqui reunidos de forma extraordinária para tomada de decisões. – Senta-se e o acompanhamos.
Ouço atentamente a sua recepção calorosa quanto à minha presença, elenca algumas responsabilidades do meu novo cargo, já as conheço, tenho acompanhado durante toda a minha vida as atividades de Mike, Cássia, Romeu, estou familiarizada com a rotina de meus mestres. Estou ansiosa para que ele finalmente comece a explanar as atividades de nossa missão.
- Agora, que já explanamos sobre a nova função de Estela Brite, preciso expor algumas situações políticas para que sejamos breves em nossos comandos para a missão que irão cumprir de grande interesse e importância para toda a nação.
Me empertigo na cadeira, Mike está sentado ao meu lado e tenho a impressão que ele estica seu braço e a intenção era tomar minha mão entre as suas, mas ele endireita o braço e volta-o à posição original.
O Imperador olha pra mim com ar de preocupação e eu fico sentindo o estômago pesar, sinal de que as coisas vão se complicar.
- Todos sabem, tem saído nos noticiários sobre as nossas reservas hídricas, não é novidade, que desde que houve a terceira guerra, com todo o desrespeito que o homem tinha pelos recursos naturais, as bombas nucleares que foram soltas em nossa atmosfera em regiões que deixamos abandonadas há séculos, tudo isso mudou drasticamente o nosso clima, nossos cientistas tem estudado com afinco meios de controlar o clima, alguns resultados positivos já foram alcançados, mas períodos longos de chuvas não existem. O que vocês talvez desconheçam é que nossos maiores reservatórios são abastecidos por aquedutos construídos ao longo de décadas com material tecnologicamente resistente às condições que encontra no subterrâneo por onde passam, que saem da região gelada próxima ao pólo norte, estendendo-se até o território de Avórdia, derretemos geleiras, transportamos água em seu estado líquido e a tratamos aqui. O que vocês não sabem é que temos sido constantemente bombardeados, esses aquedutos tem sido atacados pelos nômades, povos sem pátria que querem roubar nossa água, nossa tecnologia. Temos agora, bases militares para cuidar de nossos recursos, porém as coisas têm se complicado.
Esses fatos não são de todo desconhecidos por mim, mas o que eu não sabia é que havia bases militares ao longo dos aquedutos. Por essa razão, com certeza, meu pai não volta pra casa há algum tempo. Ele tem se comunicado com minha mãe, às vezes, quando ela está em casa e fala com ele através do telão na parede, dou um oi, mas nunca fui muito de me intrometer em seus assuntos. E geralmente eles se falam através dos netpis (net pocket, rede de bolso), os antigos celulares um pouco modificados e com possibilidade de projeção holográfica.
Continuo prestando a máxima atenção no discurso, pois ainda não entendi nosso papel e que missão seria essa.
- Seu pai Estela, nosso general Tomas Brite tentou aproximação e diálogo com os nômades, porém não alcançou sucesso. Enviei um mensageiro para indicar a localização exata dos líderes, confirmando informações recebidas, como todos sabem eles se movem rapidamente por regiões de temperaturas difíceis, é difícil acompanhar sua localização, costumamos usar os recursos de satélite para tal, mas eles têm métodos para se camuflarem. Enfim, eu, junto aos meus conselheiros e ministros, resolvemos enviar meus soldados da tríade real para mostrar a eles as nossas boas intenções em estabelecer um diálogo, eu não os enviaria numa missão suicida, os nômades devem entender que vocês levarão o emblema real e não são militares, por isso não entenderão que o intuito da aproximação seja bélico.
Mike levanta-se – Sua Majestade está propondo que estabeleçamos contato com os nômades, coisa que o braço direito do Rei, general Tomas Brite não conseguiu e que vou a essa missão somente acompanhado por uma novata de 17 anos, Estela Brite, é isso? – nunca vi Mike se pronunciar tão asperamente dirigindo-se ao nosso soberano. Fiquei estarrecida com sua atitude, no entanto já estava completamente embasbacada com a proposta vinda da corte.
- Tenho certeza Soldado Mike Whitaker, que já pensamos bastante a respeito do fato e acreditamos, como eu já me pronunciei, que ao verem o emblema Real e saberem que são soldados da tríade, saberão que a missão é de paz, afinal, vocês irão sozinhos, ninguém faz uma guerra com apenas duas pessoas da confiança do Rei e somente os senhores estarão preparados e treinados para qualquer tipo de suposto ataque que acreditamos que não irá acontecer. Você ouvirão o que eles têm a dizer e trarão suas reclamações, queremos entender essas investidas que só trazem desordem em nossos sistemas e têm causado medo no meu povo.
Não consegui me segurar, meu cérebro às vezes têm comandos automáticos que sequer me questionam e jorram pela boca tudo que descartam.
- Nosso povo, Sua Majestade quer dizer.
Ele olha pra mim com certo desprezo, mas disfarça bem aos outros.
- Sim, senhorita Estela, nosso amado povo.
Com todas essas bombas caindo em minha cabeça, não reparei na posição e expressão do Imperador que já estava em pé pronto pra falar.
O mais interessante é que, ao observar a minha mãe notei que ela não tirava os olhos do chão e pensei “por que tanta passividade numa situação em que a sua filha está sendo colocada em perigo extremo”, claro que continuei calada, não entendia direito o que estava rolando por trás dos bastidores, resolvi assistir ao “show” em silêncio.
- Não acredito que isso seja necessário, se a sua intenção, meu Rei, é demonstrar que a missão é completamente pacífica, posso ir em pessoa com o Soldado Mike para essa missão, como todos sabem também sou preparado para o caso de algo dar errado...
- Como todos sabem, o Imperador tem assuntos sérios a resolver dentro do reino, as cidades têm tido problemas com alguns cortes que têm ocorrido no fornecimento de água, devemos apaziguar os ânimos da população quanto a rumores de invasão, em resumo, preciso do Imperador dentro do país. E como o assunto já foi decidido em conselho peço que encerremos a reunião sem mais delongas e que a tríade representada por Mike e Estela se prepare para partir amanhã. Ficará aqui apenas Cássia.
Todos se levantam, inclusive o Rei e começam a sair do recinto, eu permaneço sentada ao lado de Mike, completamente petrificada, mas entendo que esse é o nosso dever e não temos escolha a não ser cumprir a contento a missão que nos foi confiada. Mike olha pra mim com um olhar desolado e coloca um netpi em minhas mãos.
Desde que a população mundial começou a se reagrupar depois de tantos atos terroristas e da terceira grande guerra, o homem mudou muitos de seus hábitos. Hoje há controle de natalidade, há leis que permitem que um casal tenha no máximo dois filhos, as famílias se acostumaram aos novos hábitos por causa de tantas restrições que passaram e geralmente hoje, ou não têm filhos ou têm apenas um, é difícil a família que se arrisca com dois filhos. A Internet, como era chamada, desde que surgiu mudou a maneira de se comunicar no Planeta, porém as coisas viraram o que chamamos hoje de caos social virtual, o ser humano passou a se expor de forma extrema e a violência, os atos terroristas, a falta de respeito com relação aos valores e costumes alheios se multiplicou e detonou a bomba do caos, as pessoas viraram autômatos viciados em redes sociais, por essa razão acharam melhor abolir essas redes, elas já não existem mais. Hoje, nos comunicamos pelos telões de parede e apenas quem necessita para exercer sua profissão utiliza-se da PC (personal call) chamada de áudio e vídeo em sistema holográfico feita através do netpi.
Saí da reunião com a cabeça latejando, pra dizer a verdade tinha apenas uma certeza, algo grande estava acontecendo e eu não conseguia sequer vislumbrar o que era, por enquanto. Decidi que não tínhamos escolha, iríamos a essa missão, mas eu utilizaria meus instintos pra chegar ao cerne desse intrincado quebra-cabeças.
Cheguei à casa e fui para a cozinha tomar um analgésico, minha mãe chegou sem dizer palavra e foi para o seu quarto, eu não tava entendendo nada, mas meus instintos me diziam pra manter a calma e esperar que ela dissesse algo ou se manifestasse.
Ela veio até a cozinha, virou-me pra ela com as mãos nos meus ombros.
-Filha, não fique insatisfeita, o Rei sabe exatamente o que faz!
Espera aí, ela é minha mãe, não é possível que ela não entenda os riscos e não esteja preocupada, ao menos um pouco. Mas o olhar dela não transmitia o que os lábios estavam proferindo, fiquei com os olhos pregados nos dela e ela levantava uma sobrancelha, o que demonstrava que algo não estava certo.

-As coisas vão se ajustar, seja corajosa! Você está preparada para essas situações e deverá usar sua inteligência mais do que nunca pra conquistar a confiança dos nômades, fazer com que te ouçam para cumprir a missão de acordo com o que precisa (frisou bem esta palavra) ser feito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário